Chapada Diamantina 7/9 – Vale do Pati

Depois de vários dias seguidos subindoe descendo trilha, decidi ter um dia mais calmo pata conhecer melhor a região do Vale do Capão que, apesar de ter cachoeiras menos monumentais, nao deixaria nada a desejar pela beleza e pela energia do lugar.

E foi por um acaso do destino que se querer descobri um dos lugares mais encantadores dessa viagem.

Na trilha para a cachoeira Angélica, errei o caminho e acabei indo parar em um lugar inesperado. Subindo e subindo, fui parar na trilha que cruzaria o Vale do Pati, um planalto descampado rodeado de rochedos imensos. Era inacreditável estar naquele lugar, rodeado por aquela natureza estonteante que não estava nos planos.

Na descida, finalmente achei o caminho correto para a cachoeira Angélica. No final das contas, o errado saiu certo, e pude aproveitar a piscina natural da cachoeira com exclusividade para descansar depois de um dia de caminhada e visual incríveis.

Ainda nesse dia mais uma preciosidade me aguardava, e mais uma vez fui presenteado pelo acaso. Fui visitar o Poço do Encantado e pelo que tinha lido na internet, é um lugar muito bem preservado e controlado, e é precisoum pouco de sorte para poder pegar o raio de sol entrando pela estrada estreita da gruta.

Desci com um grupo de visitantes, e ouvimos toda a explicação sobre a história do lugar. Contemplamos o silencio absoluto da gruta por alguns minutos antes de iniciarmos a saída.

De volta a superfície, percebi que a capa da minha câmera tinha caído na gruta, provavelmente no local onde fizemos a parada. O guia, muito gentilmente, nos vestiu com os equipamentos de segurança e descemos de volta, apenas nós dois. Chegando lá, o sol havia saído de traz das nuvens para me presentear com a foto abaixo.

E a capa da câmera? Sim, eu achei :)

Advertisements